segunda-feira, 18 de junho de 2018

Agentes das diversas pastorais sociais do Regional Norte 1 recebem formação sobre incidência política


Visando formar articuladores políticos nos diversos âmbitos de atuação das pastorais sociais, o Regional Norte 1 - Amazonas e Roraima, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizou no período de 14 a 17 de junho, o Seminário sobre Incidência Política com a assessoria de Adriano Martins e Daniel Seidel, do Centro de Assessoria e Apoio a Iniciativas Sociais (Cais). As nove prelazias e (arqui)dioceses estiveram representadas, através dos seus 94 participantes, dentre eles leigos, diáconos, padres, religiosos, e o bispo da Prelazia de Itacoatiara, Dom José Ionilton de Oliveira.

O seminário foi uma ação prevista nos quatro eixos do plano trienal da Comissão 8 da CNBB para a Ação Social Transformadora da Igreja do Brasil, e que visa criar a Pastoral de Conjunto com as pastorais sociais, diante da necessidade de criar maior entrosamento destas e, pra isso acontecer, é imprescindível uma formação para a incidência política. “Cada Pastoral se dedica ao serviço profético, à missão de denunciar as violações de direito para um grupo específico de excluídos e excluídas, deve perceber a importância da ação de incidência política. É por isso que estamos percorrendo por ano quatro regionais, sendo esta semana realizado no Regional Norte 1. É importante que cada cristão leigo que se dedica, a partir da sua fé, à defesa pelos oprimidos, conheça um pouco mais sobre o tema e veja que há uma série de passos, de etapas para alcançar esses direitos”, explicou Daniel Seidel, da Comissão Executiva das Pastorais Sociais e da Comissão para a Ação Social Transformadora da Igreja do Brasil.

Usando a metodologia de oficina, os 94 participantes dividiram-se em nove grupos para fazer as dinâmicas propostas, cujo objetivo era inseri-los no processo de incidência política e para que compreendessem as formas de agir dentro de um ciclo que compreende identificar o problema, as possíveis soluções, análise das partes interessadas e construção de alianças, planejamento e implantações de ações, uso de leis e jurídicas, campanhas de comunicação, avaliação e aprendizado. Além de usar táticas de incidência que passam pela resistência, manifestações, sensibilização, proposição e negociação.

Segundo Adriano Martins, da Comissão Nacional das Pastorais Sociais, a Incidência Política pode ser considerada um processo socioeducativo participativo que desenvolve estratégias, ações comunicativas e lutas articuladas de pessoas, grupos e organizações, tendo por objetivos favorecer a transformação social em valores princípios, políticas, estruturam práticas, ideias e comportamentos; e propiciar proteção e garantias de direitos, principalmente de segmentos populacionais socialmente vulneráveis, da sociedade mais ampla, bem como meio ambiente e das mais diversas formas de vida no planeta.

Conforme Adriano, o Papa Francisco é um grande exemplo de que com gestos e uma linguagem universal é possível influenciar muitos a aprovar e seguir o que diz. E pensando diante da realidade amazônica que é bem específica e faz parte do cotidiano dos participantes do encontro, Adriano Martins destacou: “Incidir na política é incidir na vida das pessoas, na sua forma de ver o mundo e nos seus valores e na Amazônia o desafio é grande. O Brasil vive de forma dramática um assalto à democracia, aos bens naturais e à nossa dignidade.  E os que vivem da Amazônia tem uma importante e desafiadora tarefa de defender a democracia e aqueles que defendem direitos humanos, a natureza e os povos tradicionais da floresta. É preciso seguir firme nesta luta e temos o Papa Francisco como luminar, com a sua visão profética e postura de abertura da igreja para o mundo, para o outro, para acolher a dor daqueles que sofrem e para atuar afinado ao Evangelho de Cristo, buscando a justiça acima de tudo”, afirmou o assessor do seminário.

Diante de tão rico conteúdo e experiências, no último dia do encontro (17/6), os presentes fizeram uma avaliação do que assimilaram da oficina e propuseram o que poderia acrescentar em suas ações práticas. Também elencaram compromissos a partir do papel assumido de incidirem politicamente em suas realidades, ao retornar para seus municípios/dioceses e prelazias.

Para a Irmã Eurides Alves, o encontro despertou uma necessidade de melhor articular as ações. “As pastorais fazem muita coisa na linha da incidência, mas a gente precisa qualificar o método e sobretudo crescer na dimensão da articulação e criar de fato redes para que possamos incidir também em questões mais estruturais. Eu creio que cada um, na sua luta, conseguindo algumas conquistas, mas elas precisam estar articuladas de forma de enfrentamento à estrutura sistêmica e isso só se faz com aprofundamento, domínio das técnicas, do método e sobretudo com os agentes unidos e articulados.  

Solidariedade e apoio

Na ocasião do encontro, a comissão organizadora apresentou uma moção em nome dos 94 participantes, onde  manifesta indignação com a prisão de Padre Amaro, desde o dia 27 de março, e a recorrente negação ao habeas corpus. Nesta, clamam pela liberdade de Padre Amaro e pelo seu direito ao justo processo legal, bem como pela presunção de inocência como direito humano básico, por isso, apelamos para os Ministros do STJ que concedam a liberdade a Padre Amaro. Confira na íntegra neste link cnbbnorte1.blogspot.com/2018/06/pastorais-sociais-do-regional-norte-1.html





























Pastorais Sociais do Regional Norte 1 manifestam solidariedade aos lutadores de Anapu - Pará e pela liberdade de Padre Amaro

Na manhã do dia 17 de junho, último dia do Seminário que reuniu em Manaus representantes das Pastorais Sociais das nove (arqui)dioceses e prelazias do Regional Norte 1, a comissão organizadora do Seminário sobre Incidência Política apresentou uma moção em nome dos 94 participantes, onde  manifesta indignação com a prisão de Padre Amaro, desde o dia 27 de março, e a recorrente negação ao habeas corpus. Nesta, clamam pela liberdade de Padre Amaro e pelo seu direito ao justo processo legal, bem como pela presunção de inocência como direito humano básico, por isso, apelamos para os Ministros do STJ que concedam a liberdade a Padre Amaro.

Confira na íntegra!



sexta-feira, 15 de junho de 2018

Pastorais Sociais da CNBB Norte 1 - Amazonas e Roraima refletem sobre a participação do leigo na política



Leigos, religiosos e padres representantes de pastorais e organismos das nove (arqui) dioceses e prelazias do Amazonas e Roraima que compõem o Regional Norte 1 da CNBB estarão reunidos em Manaus, até domingo (17/6), no Seminário das Pastorais Sociais sobre Incidência Política. O objetivo é aprimorar a práxis da incidência política que os/as agentes das Pastorais Sociais, Organismos e Setor da Mobilidade Humana já realizam, aprofundando conceitos, questionando as práticas, articulando novas atuações e planejando os repasses do que for aprendido, fermentando, assim, valores do Reino de Deus no coração da sociedade na perspectiva de Igreja em saída.
Uma mística envolvendo todos os participantes deu início ao evento, na noite do dia 14 de junho, seguida de um momento de apresentação e partilha da caminhada das pastorais sociais desde o último seminário ocorrido em junho de 2017.  
Na ocasião serão promovidas reflexões a respeito de diversos pontos, dentre eles as eleições 2018, o evento grito dos excluídos, escuta sobre o Sínodo Para a Amazônia, e oficina sobre  Incidência Política (teoria e propostas de práticas). 
Conforme Dom Adolfo Zon, bispo de Alto Solimões e referencial das Pastorais Sociais do Regional Norte 1 , com este evento espera-se contribuir na construção da sociedade mais humana, com pessoas que resplandeçam o rosto de Deus. “Espero que contribua para reforçar a presença e comprometimento com a dimensão sócio transformadora da fé e nos ajude a sermos discípulos missionários na sociedade e possamos contribuir na construção da sociedade que o ser humano precisa para ser mais humano, e sendo humanos resplandecer o rosto de Deus”, afirmou o bispo.




























segunda-feira, 4 de junho de 2018

Regional Norte 1 é representado em 37a. Assembleia Nacional do Laicato


Representantes da Comissão de Articulação do Laicato do Regional Norte 1, estiveram participando da XXXVII Assembleia Nacional do Laicato do Brasil que aconteceu de 31 de maio a 3 de junho de 2018. Cerca de 200 representantes dos regionais e das organizações fiadas ao CNLB estiveram nesta assembleia, na Casa de Retiro São José. 

Como o tema da assembleia foi Cristãos leigos e leigas comprometidos/as com a transformação "até que tudo fique fermentado!" (Mt 13,33), Moema Miranda da REPAM apresentou uma Análise de conjuntura refletindo sobre os acontecimentos que fizeram chegar a situação política que estamos vivenciando e o posicionamento da população as perdas de tantos direitos. "Precisamos acreditar que um outro mundo é possível, do verbo esperançar. Nós estamos vivendo em momento de crise, em que o velho já morreu e o novo ainda não nasceu. Crise é uma coisa que passa, mutação é diferente, é uma crise complexa segundo Papa Francisco", disse Moema. 

"Que sinal eu posso ser para o laicato"? Assim Daniel Seidel iniciou sua fala nos instigando como homens e mulheres que são igreja e com Francisco inauguramos um outro jeito de ser igreja. Papa Francisco retoma o povo de Deus, e traz a ideia de que os pastores, estão  na frente quando precisa conduzir, esta no meio com o povo e em alguns momentos está atrás para vigiar. O compromisso com os pobres nos chama a missão.  A igreja abre espaço para os movimentos sociais e lutas sociais. Todos estamos comprometidos com a proposta de igreja em saída.  O frescor da nova encíclica do Papa Francisco nos diz "santificai-vos para que possais santificar os outros" e nos lembra que falta o frescor da Alegria do Evangelho na missão. Daniel nos diz que estamos vivendo o ano da graça por ocasião do Ano do Laicato e que precisamos vivenciar para sempre e não concluir no fim do ano. As atividades do Ano do Laicato é continuo. Precisamos vivenciar as relações para a vida inteira e que as pessoas não são descartáveis. A nossa ideologia é a luz que vem de sua luz própria.  A luz do evangelho pode tornar a luz da ideologia convertida. A nova encíclica do Papa Francisco, "Alegrai-vos e exultai-vos", nos diz que somos o Povo de Deus e que nós devemos ter um olhar com os olhos da fé. Daniel retomou a temática com a analise de conjuntura a partir da Laudato SI e de três frases geradoras: estado pós-democrático Neoliberal; crise; criminalização. Estamos vivendo uma crise provocada, planejada e que a elite do Brasil foi quem rompeu o pacto.

Durante trabalho de grupo foram feitas reflexões sobre os desafios e ações a serem desenvolvidas referente aos areópagos mencionados no Documento 105: família, mundo do trabalho, política e políticas públicas, educação, casa comum, cultura de paz, superação das violências, cultura, comunicações, economia e auditoria pública, relação igreja e mundo urbano, igreja e participação das mulheres, igreja e sociedade, e clero e laicato. 

As comissões de formação, fé e política, e juventude apresentaram seus projetos, atividades e cronogramas de eventos do CNLB e de assessoria nos regionais. Este ano ainda teremos duas atividades por conta do ano do laicato que são o encontro do CELAM e do colegiado (02 a 04 de novembro) e a Assembleia do Povo de Deus (23 a 25 de novembro). Também foi anunciado para melhor programação dos regionais a Assembleia/2019 que acontecerá em Fortaleza.

Texto e fotos: Patrícia Cabral